quinta-feira, 17 de março de 2011

CISNE NEGRO


É um filme denso, tenso, fascinante! Claro que isto depende do olhar do expectador. Quem está em busca de um drama romântico, se decepciona. Cisne negro deve ser visto como uma metáfora das possibilidades do ser humano. A personagem principal – Nina – é bailarina e está presa, impossibilitada de crescer emocionalmente. Presa à imagem de menina, que aparece o tempo todo na trama, seja através do quarto infantil, do comportamento, do olhar.. Presa à mãe controladora, que frustrada com sua carreira de bailarina, projeta na filha todas as expectativas e dita como esta deve ser, como se comportar, o que desejar... Ao conseguir o papel de bailarina principal no espetáculo Lago dos Cisnes, ela é confrontada. Para assumir o papel, ela deve encenar ambos os cisnes: o branco (submisso, doce, terno), bem de acordo com seu comportamento; mas deve incluir o negro (corajoso, sedutor, decidido). Para isto Nina precisa de encontrar o lado negro de sua personalidade, aqui não deve ser entendido como negativo, apenas aquilo que quer surgir, vim à tona, no caso de Nina, a mulher que quer desabrochar. A personagem enfrenta esta luta, na sequência de cenas que misturam realidade e fantasia, manifesta o drama da personagem.. Nina teme o lado negro de sua personalidade, assumi-lo implica em perdas (da ingenuidade, da não responsabilidade pela sua vida), não dando conta de incorporar esse lado, ela encontra a morte. Em algum momento da vida, todos nós nos deparamos com nosso cisne negro, em algum momento precisamos rever nossa trajetória, abrir mão do passado (algumas coisas precisam ficar para trás, serem abandonadas, ressignificadas) e assimilar o novo.. Reconhecer nossos defeitos e qualidades, nossos limites e desejos, pensar e sentir, a vida se torna ‘nossa’ responsabilidade. Crescer implica em assumir riscos, assim nossos “cisnes” estarão incorporados e assumindo seus lugares, afinal existe sempre um espaço para um lado infantil..


Imagem:www.adorocinema.com.br

Um comentário:

Jaque disse...

Oi Janaina!!
Realmente é um filme surpreendente nos faz pensar a fundo sobre nós mesmos e a buscar sempre um equilibrio!!!
Parabéns pelo comentário que creio ter captado a essência deste filme!

Abços
Jaqueline