terça-feira, 18 de setembro de 2007

Auto-estima

Muito se fala sobre auto-estima... várias pessoas discutem, debatem, escrevem... Corro o risco de ser repetitiva.
Mesmo correndo o risco, prefiro falar à omitir...afinal cada um tem o direito de ouvir vários pontos de vista e escolher o que mais combina com sua história.
Tenho chegado a algumas conclusões a respeito de auto-estima...minhas observações e experiências profissionais e pessoais têm colaborado nesse sentido..
Então, auto-estima para mim é como uma roupa...se eu usar uma roupa que não é minha, a sensação não é agradável...isso seria ‘baixa auto-estima’...ao contrário se a roupa é minha, combina comigo... ‘auto-estima em alta’.
No dia-a-dia são nos oferecidas vários tipos de roupas. O medo de não ser aceito pela família, pela sociedade, pelos amigos..muitas vezes nos leva a vestir ‘aquela roupa’ acreditando que basta um aperto ali, um conserto acolá...que a gente consegue usar...
Vestir uma roupa que não é meu número pode trazer uma sensação desagradável, tem algo que não encaixa (isso vale, para o modelo, o estilo). Quando você não atende aos desejos da família, da sociedade, com certeza será criticado. Para evitar tal risco, basta atender aos ideais dos outros...
Atender a esses ideais pode levar a uma prisão....corre-se o risco de ficar preso aos sonhos, projetos, crenças, palavras ditas dos outros...sem parar e refletir o que de fato são nossos projetos, sonhos.
Passamos a vida vestindo uma roupa que não nos cai bem, com medo de tentar trocar por uma outra...então passamos a vida acreditando que não temos o direito de trocar de roupa!
Afinal, minha família já se veste assim a tanto tempo! Todos usam esse modelo, não posso mudar! As mulheres (ou os homens) da família são assim!
Descubra qual a peça de sua roupa não combina com você. Pode ser hora de customizar!!

2 comentários:

Pablo disse...

Obrigado pelo comentário, Janaina. Também fiquei empolgadíssimo ao ver essa notícia. Na verdade, várias boas notícias têm me surpreendido com relação à procura por livros, cursos de língua portuguesa e todo tipo de coisa que eleva nossa querida língua. Estamos tão acostumados a ouvir notícias pessimistas e quando começamos a pesquisar sobre o assunto descobrimos que o quadro é bem melhor do que se pinta.
Com seu comentário sobre seus alunos, lembrei-me de um livro que li recentemente (comprado na Estante Virtual), chamado Como um Romance (http://cadeorevisor.wordpress.com/2007/06/01/como-um-romance). A obra é magnífica e mostra como fazer para recuperar o gosto pela leitura. Você vai gostar.

Abraço,

Pablo.

Rita de Cácia disse...

Achei bacana a observação feita sobre auto-estima. Acho q as pessoas poderiam ser mais felizes se acreditassem na grande capacidade que cada um tem dentro de si. e que temos o poder de compreender nossos conflitos e buscar soluções necessárias. Um abraço.